benassi-marca-dagua

Lei nº 8.470/1995

A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Artigo 1º – Passa a, fazer parte do calendário de comemorações oficiais do município de Campinas, à Semana da Consciência Negra, que deverá ocorrer na semana de 20 de novembro de cada ano – Dia Nacional da Consciência Negra, por ocasião da morte do líder negro Zumbi.

§ 1º – Durante a referida Semana, as escolas da Rede Municipal de Ensino deverão desenvolver atividades que resgatem a trajetória da luta de Zumbi e do movimento negro atual, e promovam a análise da situação do negro na sociedade brasileira de hoje.

§ 2º – A realização das atividades da Semana da Consciência Negra deverão contar, obrigatoriamente, com a participação das entidades do movimento negro com atuação no município.

Artigo 2º – As despesas decorrentes da presente lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.

Artigo 3º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Autor: Vereador Sérgio Benassi

benassi-marca-dagua

Lei nº 8.345/1995

A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Artigo 1o – passa a fazer parte do calendário de comemorações oficiais da rede municipal de ensino a SEMANA DA MULHER, a qual devera ocorrer na semana de 8 de março de cada ano – dia internacional da mulher.

Parágrafo Único – As comemorações referidas no caput desse artigo, compreenderão, dentre outras, atividades artísticas e culturais que divulguem as conquistas da mulher nos campos políticos, econômico e social, bem como atividades que desenvolvam a compreensão sobre o papel da mulher na sociedade, rompendo preconceitos e idéias estereotipadas que denigram a imagem feminina.

Artigo 2o – As despesas decorrentes da presente lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessária.

Artigo 3o – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Paço Municipal 02 de junho de 1995

JOSÉ ROBERTO MAGALHÃES TEIXEIRA
Prefeito Municipal

Autor: Vereador Sérgio Benassi

benassi-marca-dagua

Lei nº 8.029/1994

A Câmara Municipal aprovou e eu, Marco Abi Chedid, seu Presidente, promulgo os termos do artigo 51, # 5º da Lei Orgânica do Município, de 30 de março de 1990, a seguinte lei:

Artigo 1º – Fica a Prefeitura Municipal de Campinas autorizada a celebrar convênio com a Universidade Estadual de Campinas –UNICAMP.

Artigo 2º – O convênio de que trata esta lei será para a realização, pela UNICAMP, de exame de DNA para investigação de paternidade e autoria de crimes.

Parágrafo único – O exame descrito no “caput” deste artigo será requisitado pelo Juiz de Direito, Promotor de Justiça e Delegado de Polícia com jurisdição no Município, ao I.M.L. (Instituto Médico Legal) da Polícia Civil que emitirá o laudo oficial baseando-se no resultado do exame elaborado pela UNICAMP.

Artigo 3º – A UNICAMP fornecerá os equipamentos e os recursos humanos necessários para a realização do exame de DNA.

Artigo 4º – As despesas decorrentes com a execução da presente lei correrão por conta de dotação orçamentária própria consignada no próximo exercício financeiro e nos subseqüentes, e suplementada se necessário, além de verbas oriundas do Estado, União e doação de entidades privadas e fundacionais, destinadas para esse fim.

Artigo 5º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Campinas, 13 de setembro de 1994

JOSÉ ROBERTO MAGALHÃES TEIXEIRA
Prefeito Municipal

Autor: Vereador Sérgio Benassi

PUBLICADO NA SECRETARIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPINAS AOS 13 DE SETEMBRO DE 1994.

ALBERTO LUIS MENDONÇA ROLLO
Secretário Geral

benassi-marca-dagua

Lei nº 8.021/1994

A Câmara Municipal aprovou e eu, Marco Abi Chedid, seu Presidente, promulgo os termos do artigo 51, # 5º da Lei Orgânica do Município, de 30 de março de 1990, a seguinte lei:

Artigo 1º – Fica a Prefeitura Municipal de Campinas autorizada a instituir um serviço público de atendimento telefônico, vinculado ao 156, para fornecer informações e orientações sobre direitos e violência contra a mulher, a criança e o adolescente.

Artigo 2º – O atendimento instituído por esta lei será efetuado por um funcionário capacitado para dar as orientações específicas necessárias às vítimas de violência, inclusive sexual e violação dos direitos da mulher, da criança e do adolescente, indicando os procedimentos e as providências médica e legais cabíveis.

# 1º – A capacitação profissional do encarregado do atendimento se dará através de conhecimento adquirido junto aos órgãos e entidades de assistência médica e legal a esses segmentos existentes no Município.

Artigo 3º – As despesas decorrentes com a execução da presente lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.

Artigo 4º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Campinas, 01 de setembro de 1994

MARCO ABI CHEDID
Presidente

Autor: Vereador Marco Abi Chedid
—————————————————————————————————–
PUBLICADO NA SECRETARIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPINAS AOS 1 DE SETEMBRO DE 1.994.

ALBERTO LUIS MENDONÇA ROLLO
Secretário Geral

benassi-marca-dagua

Lei nº 7.790/1994

A Câmara Municipal aprovou e eu, Marco Abi Chedid, seu presidente, promulgo nos termos do artigo 51 # 5º da Lei Orgânica do Município de Campinas.

Artigo 1º – Fica ao Poder Executivo ceder instalações imobiliárias para sediar os Conselhos Municipais de Campinas, em imóvel de propriedade municipal ou tomado em aluguel.

Artigo 2º – A administração da sede dos Conselhos Municipais será exercida por representante de cada Conselho, escolhido democraticamente pelos seus membros.

Artigo 3º – Será assegurada a autonomia administrativa da sede dos Conselhos Municipais, cujas normas de funcionamento serão estabelecidas em um regulamento interno a ser elaborado pelos administradores indicados pelo Conselho.

Artigo 4º – As despesas decorrentes da execução dessa lei ocorrerão por conta de verbas própria do orçamento vigente, suplementadas se necessário.

Artigo 5º – Esta lei entra em vigor na data e sua publicação, revogadas as disposições em contrario.

Autor: Vereador Sérgio Benassi

benassi-marca-dagua

Lei nº 7.585/1993

A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Artigo 1º – Fica instituída a obrigatoriedade da existência de quadros Informativos sobre o horário das linhas dos ônibus coletivos urbanos.

Parágrafo único – Cada coletivo deverá expor em local visível aos usuários o quadro instituído no “caput” dessa lei, contendo os horários da linha respectiva.

Artigo 2º – O não cumprimento desta lei acarretara multa referente 2000 UFMCs, revertida para a Prefeitura Municipal de Campinas.

Artigo 3º – A Prefeitura Municipal de Campinas tem prazo de 30 dias a partir da publicação desta lei, para regulamenta-la.

Artigo 4º – A presente lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Autor: Vereador Sérgio Benassi

benassi-marca-dagua

Lei Nº 7.560/1993

A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Art. 1º – Fica assegurado o pagamento de meia entrada do valor efetivamente cobrado para o ingresso em casas de diversões, de espetáculos teatrais, musicais e circenses, em casas de exibição cinematográfica, praças esportivas e similares das áreas de esportes, cultura e lazer do município de Campinas, aos estudantes regularmente matriculados em estabelecimentos de ensino de primeiro, segundo e terceiro graus, existentes no município de Campinas, na conformidade da presente lei:

§ 1º para efeito do cumprimento da presente lei, consideramse como casas de diversões de qualquer natureza, previsto no “caput” deste artigo, as localidades que por suas atividades propiciem lazer e entretenimento.

§ 2º Serão beneficiados por esta presente lei, os estudantes devidamente matriculados em estabelecimento de ensino público ou da rede particular, dos primeiro, segundo e terceiro graus, do município de Campinas, devidamente autorizados a funcionar pelos órgãos competentes.

Art. 2º – A identificação do estudante para a utilização da meia entrada, ocorrerá mediante apresentação de Carteirinha de Identificação estudantil, fornecida pelas seguintes entidades estudantis: União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). Número de toques (2698)

§ 1º A Carteirinha de Identificação Estudantil será distribuída pelas seguintes entidades estudantil do município: União Campineira dos Secundaristas (UCES), bem como diretórios Centrais de Estudantes das Universidades, conforme critério estabelecido pelas próprias.

§ 2º As Carteirinhas de Identificação Estudantil, serão válidas em todo o município de Campinas, perdendo apenas a sua validade quando da expedição de novas carteirinhas estudantis no ano letivo seguinte.

Art. 3º – Caberá à Prefeitura Municipal de Campinas, através dos seus respectivos órgãos de cultura, esportes e turismo e da defesa do consumidor, a fiscalização e o cumprimento desta lei.

Art. 4º – O não cumprimento da presente lei implicará multa pecuniária correspondente a 100 UFMCs ao estabelecimento infrator.

§ Único A reincidência do estabelecimento implicará na suspensão do alvará de funcionamento.

Art. 5º – A prefeitura Municipal de Campinas tem prazo de 30 dias a partir da publicação desta lei, para regulamentá-la.

Art. 6º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

PAÇO MUNICIPAL, 13 de julho de 1993

JOSÉ ROBERTO MAGALHÃES TEIXEIRA
Prefeito Municipal

benassi-marca-dagua

Lei nº 7.554/1993

A Câmara municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas , sanciono e promulgo a seguinte lei.

Artigo 1º – Fica o poder executivo autorizado a ceder instalações Imobiliárias á União Campineiras dos Estudantes Secundários, em Lotação.

Artigo 2º – As despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta de verbas próprias do orçamento vigente, suplementadas se necessário.

Artigo 3º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário .

Autor: Vereador Sérgio Benassi

benassi-marca-dagua

Prefeitura inicia primeira etapa das obras de duplicação da Estrada do Amarais


 



Nesta etapa, as obras começam em frente ao Sest/Senat, nas alças do trevo da Rodovia D. Pedro I e se estendem até o viaduto da via férrea. O trecho será totalmente duplicado respeitando as concordâncias da pista existente. A obra inclui a execução de uma pista paralela, inserção de retornos operacionais, acostamentos, solução dos problemas de drenagem e a construção de duas pontes, sendo uma sobre o Ribeirão Quilombo e a outra sobre o Córrego Boa Vista.


 


Para o prefeito, esta obra é estratégica para o desenvolvimento do País. “Este é um grande entroncamento rodoviário que dá acesso às Rodovias D. Pedro I, Bandeirantes e Anhanguera. A duplicação deste segmento significa compromisso com a população, já que a obra está prevista desde os anos 80”, explicou Dr. Hélio.


 


A melhoria viária beneficiará diretamente cerca de 150 mil moradores de 15
bairros da região. Conforme a Empresa Municipal de Desenvolvimento de
Campinas (EMDEC) a Avenida Aladino Selmi tem um tráfego que chega a 14 mil veículos/dia.


 


Obra


A obra abrange a construção de dois viadutos, canteiro central, guias e
sarjetas, galerias para captação de águas pluviais, baias para parada de
ônibus, além da pavimentação asfáltica e a implantação de sistema de
sinalização de trânsito para veículos e pedestres.


 


O projeto, elaborado pela Secretaria de Infra-Estrutura, será executado pela empreiteira Estrutural, vencedora de concorrência pública realizada pela Prefeitura de Campinas. Esta etapa de duplicação da via está orçada em R$ 5.925.930,52, recursos provenientes dos cofres do Governo Municipal.


 


De acordo com engenheiro civil da construtora Estrutural, responsável pela obra, Paulo Cesar Montreoni, a seqüência normal de execução tem início com a limpeza da área onde será implantada a nova pista, definição e execução dos pontos de drenagem, execução da pista nova e das duas pontes. “Quando esta parte estiver concluída faremos a transferência do tráfego da pista atual para a nova e iniciaremos a reforma da faixa antiga”, esclareceu o engenheiro.


 


A duplicação total da via abrange aproximadamente quatro quilômetros, atingindo o município de Sumaré. A Prefeitura de Campinas pretende viabilizar a segunda parte da duplicação por meio de parceria com o Governo Estadual, a direção do Terminal Intermodal de Cargas, localizado nas proximidades da Estrada dos Amarais, e a FerroBan (Ferrovias Bandeirantes S/A).


 


Representantes dos Governos Municipal e Estadual já mantiveram vários
encontros para discutir o projeto de duplicação da via e a forma de
viabilização de recursos financeiros. Foram também mantidos contatos com
moradores da área, principalmente com os residentes no Conjunto do CDHU para explicar os entendimentos e a forma de execução do projeto.


 


 


Bel Buzzo Alonso e Doni Vieira