benassi-marca-dagua

Trens são apontados por autoridades como solução de mobilidade urbana

Aproximadamente 300 especialistas em trânsito e transportes, prefeitos, deputados e integrantes da Frente Parlamentar de Implantação do Bilhete Único Metropolitano defenderam o uso de trens como solução para a mobilidade urbana durante o “Transporte sobre Trilhos: Ciclo de conversa sobre Mobilidade Urbana e Integração nas Metrópoles”, nesta segunda-feira, dia 15 de abril, no Salão Vermelho da Prefeitura de Campinas.


Autoridades do Poder Executivo de Campinas, Jundiaí, São Paulo e Louveira; junto com representantes do Poder Legislativo de toda a região compartilharam com especialistas em transporte de órgãos governamentais e deputados estaduais e federais em defesa ao sistema ferroviário como transporte de massa e principal ferramenta para diminuir gargalos no trânsito e melhorar a qualidade do transporte público.

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, disse na abertura do evento que a retomada dos trilhos tornou-se uma necessidade para solucionar a questão da mobilidade urbana. “ A estrada de ferro sempre foi eficiente, mas quando o modelo rodoviário começou a ser implantado, a ferrovia começou a ser colocada de lado, um erro histórico que deve ser corrigido por necessidade”, afirmou.



O prefeito lembrou também da posição estratégica de Campinas no Estado como fator importante para as ferrovias. “Campinas sempre teve a vocação de interligar as diversas regiões do Estado e do País. Sempre foi eixo principal, conectando os caminhos que levam a outras cidades”, afirmou. 

Sérgio Benassi, secretário municipal de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), disse que todos os gestores públicos devem pensar juntos e planejar o sistema sobre trilhos como modelo estruturante, recuperando a malha férrea já existente. “Além disso, a integração do transporte sobre trilhos com os demais modais é fator indispensável para requalificar o transporte de massa”, afirmou o secretário.

Gerson Bittencourt, deputado estadual e coordenador da Frente Parlamentar de Implantação do Bilhete Único Metropolitano, destacou também que o sistema sobre trilhos deve ser retomado como modelo estruturante em todo o País, interligando-se com o sistema rodoviário e diminuindo os gargalos no trânsito das metrópoles. Defendeu também a criação de um sistema de integração metropolitana do transporte coletivo nas Regiões Metropolitanas de São Paulo, Jundiaí e Campinas.

Francisco Aparecido Felício França, diretor presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias Paulistas, destacou a importância de se investir no sistema de transporte por trilhos, que resulta em tarifas acessíveis e em eficiência nos horários de partida e chegada para a população. “O sistema ferroviário é uma realidade nos países desenvolvidos tanto na Europa e Estados Unidos como no Japão e na China. No Brasil apenas 23% da carga produzida é levada aos portos através dos trilhos. Nos países desenvolvidos os trens levam até 80% da produção”, afirmou. “Além disso, o investimento em transporte de passageiros é incomparável ao que se investe nesta modalidade no Brasil”, disse.

Guilherme Campos Junior, deputado federal, afirmou que o colapso no sistema rodoviário é uma triste realidade e apontou o sistema férreo como solução. “É hora de colocar campinas nos trilhos e o todo o País, tanto no transporte de cargas como no de passageiros”, comentou.

O debate contou com a participação também de Ailton Brasiliense (presidente da Agência Nacional de Transporte Público (ANTP); Breno Motta Júnior (EPL- Brasília); Saulo Pereira Vieira (coordenador de Planejamento e Gestão da Secretaria dos Transportes Metropolitanos de São Paulo); Dinei Pasqualini (secretário de Transportes de Jundiaí); e José Evaldo Gonçalo (secretário adjunto de Transportes de São Paulo).

Participaram, ainda, Antonio Mentor (deputado estadual); Tito Campos (deputado estadual); Mauro Bragato (deputado estadual) e Milton Serafim (presidente do Conselho da RMC e prefeito de Vinhedo).

O ciclo de conversas teve o objetivo de construir um diagnóstico do trânsito e transporte da RMC para elaborar projetos de integração do transporte público. Foi útil também para construir cenários, identificar gargalos e estabelecer ações e parcerias para a construção de cidades sustentáveis e viabilizar inclusão social.

O evento foi promovido pela Frente Parlamentar Paulista do Bilhete Único Metropolitano, junto com a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) e Sindicato dos Trabalhadores Ferroviários do Brasil (SindPaulista).

benassi-marca-dagua

Jonas Donizette implanta o “Passe Lazer”

Compromisso assumido, compromisso cumprido. O prefeito Jonas Donizette implanta o Passe Lazer. O benefício consiste na redução no valor da tarifa de ônibus pela metade, inicialmente um domingo por mês. A medida vale a partir do dia 28 de abril.


Com isso, de R$ 3,30, o usuário do transporte irá pagar R$ 1,65 pela viagem, com o cartão do Bilhete Único Comum ou em dinheiro. Nos próximos quatro meses, o Passe Lazer terá validade todo último domingo de cada mês. Após esse período, a ideia é que o benefício seja gradualmente estendido. “É uma ação que favorece o cidadão, possibilitando que, com a utilização do transporte público, ele e a família tenham mais acesso ao lazer e atividades prazerosas, no dia de descanso”, afirma o prefeito.

Estudo realizado pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) aponta que, nos dias úteis, em média, 240 mil pessoas utilizem o transporte público coletivo municipal. Esse volume representa 620 mil passagens pela catraca. Exclusivamente aos domingos, são 87 mil usuários, representando 170 mil passagens. Levantamento da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) indica a média de 28,8 mil usuários do Bilhete Único Comum aos domingos.

“Além de pagar a metade da tarifa, o usuário do Bilhete Único também tem garantida a integração de 2h. É um duplo benefício”, lembra o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Sérgio Benassi.

O Passe Lazer não vale para quem tem o Bilhete Único Escolar, que já possui 60% de desconto no valor da tarifa; e, também, para quem tem o Bilhete Único Vale-Transporte, por ser um benefício antecipado que a empresa empregadora presta ao funcionário, para seu deslocamento ao trabalho. Quem tem o cartão de Bilhete Único Idoso ou Gratuito, não paga a tarifa de ônibus.


Bilhete Único Comum
O Bilhete Único é um cartão individual, intransferível (não pode ser utilizado por outra pessoa) e inteligente, que armazena créditos em dinheiro para o pagamento de passagens de ônibus. Com o cartão, o usuário pode fazer integrações, ou seja, utilizar os veículos do InterCamp pagando somente uma tarifa, no período de 2h, todos os dias da semana.

O conceito adotado pelo Bilhete Único é o da integração temporal, sem restrição de uso no sistema, proporcionando economia. Além disso, o uso do cartão evita o pagamento da tarifa com dinheiro, aumentando a segurança dos usuários e operadores; e proporcionando maior agilidade operacional.

Para fazer o Bilhete Único Comum, a pessoa, munida de um documento com foto, pode ir aos postos administrados pela Transurc. A sede da empresa fica na Rua Onze de Agosto, 757, no Centro. Também há postos no Poupatempo Centro e nos terminais urbanos de Barão Geraldo, Campo Grande, Central, Mercado, Metropolitano e Ouro Verde. O cartão fica pronto na hora, sem nenhum custo.


Sistema InterCamp
Atualmente, o Sistema InterCamp possui 1.247 ônibus. São 999 veículos de empresas concessionárias e 248 do serviço complementar (alternativo). Desse total de veículos, 582 são acessíveis, sendo 509 das empresas e 73 do complementar. Os veículos acessíveis representam 46,7% da frota.

A idade média do InterCamp é de 4,7 anos. O Sistema InterCamp registra, na catraca, a média de 620 mil passageiros por dia, volume que representa aproximadamente 240 mil usuários.


Mais informações
Para obter mais informações sobre o Bilhete Único, o usuário pode acessar o site da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), no endereço eletrônico www.emdec.com.br; e entrar na seção “Transporte”, “Bilhete Único”. Ou ligar no telefone (19) 3772-1517, da EMDEC.

Na Transurc, o atendimento é realizado das 8h às 18h. O site da Transurc é o www.transurc.com.br; e o telefone 0800 014 0204.

benassi-marca-dagua

Campinas recebe mais 20 novos ônibus acessíveis

Dando continuidade ao processo de renovação, melhoria e acessibilidade da frota do transporte público coletivo municipal, iniciado pelo prefeito Jonas Donizette no começo de fevereiro, Campinas recebeu mais 20 novos ônibus acessíveis. Desse total, seis são veículos articulados e 14 convencionais.



No dia 4 de fevereiro, outros 27 veículos, todos acessíveis, entraram em operação na região do Ouro Verde. A apresentação dos 20 veículos para a população foi na manhã desta terça-feira, dia 2 de abril, no Terminal Barão Geraldo; e contou com a participação do prefeito Jonas Donizette, da deputada estadual Célia Leão, secretários, vereadores, empresários, representantes de conselhos municipais, motoristas, cobradores e usuários do espaço.


“Estamos trabalhando para destravar a cidade; e o transporte público de qualidade e acessível é uma das prioridades da Administração”, destacou Jonas Donizette. “Também vamos receber R$ 260 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Pavimentação, que serão empregados para asfaltar itinerários de ônibus em regiões importantes do município, como na Vila Esperança, no Campo Grande e no Ouro Verde, sem esquecer de melhorar os pontos de ônibus da periferia”, revelou o prefeito.


Para o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Sérgio Benassi, “os novos veículos trazem maior qualidade, eficiência e rapidez ao transporte coletivo, sem descuidar da acessibilidade”.


Já a deputada Célia Leão destacou o “compromisso do prefeito com a cidade e, principalmente, com o povo de Campinas”. Representando os vereadores, Artur Orsi salientou a “capacidade que a atual Administração Municipal tem demonstrado no planejamento e realização de ações para resgatar o orgulho do povo campineiro”.


A secretária do Direito das Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Emmanuele Garrido Alkmin, lembrou que “o ônibus acessível não é somente para a pessoa com deficiência, mas também para o idoso, para as gestantes, para todos nós. Esses veículos garantem autonomia e o direito de ir e vir de todas as pessoas”.


Operação
Os 14 novos veículos convencionais atendem as regiões do Jardim Santa Mônica, Jardim Aliança, Cambuí, São Bernardo, Unicamp e Joaquim Egídio. Essas regiões fazem parte da Área 3 (Verde) do Sistema InterCamp (sistema de transporte público coletivo municipal), formada pelas regiões de Barão Geraldo, Sousas, Amarais, Rodovia Campinas – Mogi Mirim e Corredor Abolição. A Área Verde é atendida pelo Consórcio Urbcamp, formado pelas empresas VB Transportes e Turismo Ltda. e Coletivos Pádova Ltda.


Já os seis veículos articulados operam na linha 1.21 – Terminal Ouro Verde. Essa linha está inserida na Área 1 (Azul Claro), que atende as regiões do Ouro Verde, Vila União, Corredor Amoreiras e Campo Belo; e é de responsabilidade da VB Transportes e Turismo Ltda.


Os novos veículos beneficiam, diretamente, 25,7 mil passageiros diários do transporte público coletivo municipal. Os investimentos das empresas foram da ordem de R$ 6,3 milhões.


Acessibilidade
Todos os 20 veículos são acessíveis. Eles são dotados de piso rebaixado ou elevador, para acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; balaústres emborrachados para direcionamento ao botão de parada; botão de parada com indicação em braile; espaço para cadeirantes; bancos para idosos, obesos e gestantes; além de encostos dos bancos mais altos, oferecendo maior conforto e comodidade aos usuários.


Os veículos convencionais têm capacidade para 64 passageiros. Já os articulados transportam, em média, 102 passageiros.


Linhas favorecidas
Confira as linhas com novos veículos:
1.21 – Terminal Ouro Verde (seis novos veículos articulados);
3.11 – Jardim Santa Mônica (três novos veículos);
3.30 – Unicamp (três novos veículos); 
3.42 – Jardim Aliança (dois novos veículos);
3.82 – Cambuí / Campinas Shopping (quatro novos veículos);
3.90 – Joaquim Egídio (dois novos veículos).


InterCamp
Com esses novos veículos, o InterCamp  possui 1.247 ônibus. São 999 veículos de empresas concessionárias e 248 do serviço complementar (alternativo).


Do total de veículos, 582 são acessíveis, sendo 509 das empresas e 73 do complementar. Os veículos acessíveis representam 46,7% da frota. A idade média do InterCamp é de 4,7 anos.


O Sistema InterCamp registra, na catraca, a média de 620 mil passageiros por dia, volume que representa aproximadamente 240 mil usuários.


Dados do Terminal Barão Geraldo
O Terminal Barão Geraldo foi inauguração em 1985; e recebe 21 linhas do Sistema InterCamp. São 45 mil pessoas que circulam, diariamente, pelo local.


O terminal fica na Rua Luiz Vicentin, em Barão Geraldo.


Linhas no Terminal Barão Geraldo: 1.34; 2.10; 2.69; 3.00; 3.14; 3.15; 3.19; 3.20; 3.21; 3.22; 3.23; 3.24; 3.25; 3.26; 3.27; 3.28; 3.29; 3.31; 3.32; 3.33; e 3.38.


Dados do Terminal Ouro Verde
O Terminal Ouro Verde foi inaugurado em 1988; e recebe 28 linhas do InterCamp. Por dia circulam 65 mil pessoas pelo local.


O Ouro Verde fica na Rua Armando Frederico Renganeschi, no Jardim Cristina.


Linhas no Terminal Ouro Verde: 1.01; 1.02; 1.03; 1.04; 1.05; 1.06; 1.07; 1.08; 1.09; 1.10; 1.11; 1.12; 1.13; 1.16; 1.18; 1.19; 1.20; 1.21; 1.22; 1.23; 1.25; 1.28; 1.32; 1.34; 1.96; 1.98; 2.05; e 2.39.

benassi-marca-dagua

Prefeitura cadastra empresas de tecnologia para sistema de alerta de ônibus

A Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida e a Secretaria Municipal de Transportes/Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) dão o pontapé inicial no Programa Embarque Acessível, que irá disponibilizar à população sistema de automação e monitoramento digital de frota para dispositivos móveis (tablets e celulares), possibilitando ao usuário receber uma mensagem em seu aparelho móvel quando o ônibus estiver chegando no ponto. 


“Nossa Administração busca incluir as pessoas e garantir o direito de todos a serviços públicos de qualidade, por isso o Programa Embarque Acessível entra como prioridade no nosso planejamento”, afirmou o prefeito Jonas Donizette na terça-feira (2), durante a entrega de novos ônibus do Sistema Intercamp no Terminal Barão Geraldo.

“Estamos cumprindo o planejado e dando os primeiros passos dentro dos 100 dias do governo neste importante projeto, que dará mais qualidade de vida aos usuários do transporte público com necessidades especiais”, afirma a secretária Emmanuelle Alkmin.

A partir desta quinta-feira, dia 4 de abril, a Emdec iniciará o cadastro de fornecedores. O objetivo é identificar no mercado empresas capacitadas em desenvolver soluções técnicas para implantar um sistema de alerta nos pontos de ônibus que auxilie pessoas com restrição visual sobre horários, partidas e chegadas, aproximação dos veículos e eventuais alterações de itinerário. “Conhecemos alguns sistemas semelhantes implantados em outras cidades e temos certeza que traremos um grande valor social ao Sistema Intercamp oferecendo um serviço que trará mais autonomia a esses usuários”, destaca o secretário de Transportes, Sérgio Benassi.

O Chamamento Público Número 001/2013 foi publicado nesta quarta, 3, no Diário Oficial do Município de Campinas (www.campinas.sp.gov.br/diario-oficial), na página 13. As empresas interessadas deverão se cadastrar de 4 de abril até 6 de junho, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 16h. O edital pode ser obtido na Gerência de Licitações e Contratos da Emdec, à Rua Salles de Oliveira, 1.028, Vila Industrial, com gravação em CD-R; ou solicitando pelo e-mail licitações@emdec.com.br. Também é possível obtê-lo na página da Emdec na internet, endereço www.emdec.com.br, seções Licitações e Agenda de Licitações. (Clique aqui para baixar).

Uma comissão técnica formada por membros das secretarias fará a avaliação e o credenciamento das empresas que se cadastrarem. As interessadas deverão implantar seus sistemas para teste em quatro veículos das linhas 3.66 – Vila Orosimbo Maia, cujo itinerário atende o Instituto Campineiro dos Cegos Trabalhadores e o Centro Cultural Louis Braille, e 3.77 – Vila Marieta/Shopping Dom Pedro, que também passa pelo Centro Louis Braille. Os testes serão realizados em 30 dias, prorrogáveis por mais 30. Se aprovadas, as empresas serão homologadas para se tornarem possíveis fornecedoras. Não haverá custo para a Administração para a realização dos testes e implantação do sistema, cuja responsabilidade será das concessionárias do transporte público.

A iniciativa dá partida no Programa Embarque Acessível, projeto anunciado pelo prefeito Jonas Donizette que garantirá melhor acesso aos passageiros cegos ou com visão reduzida, além de cumprir a Lei Federal Nº 12.587, que estabelece diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana.

O projeto visa incluir soluções de tecnologia da informação que alertem em aparelhos portáteis a aproximação dos ônibus desejados. O usuário receberá um sinal sonoro ou mensagem em seu celular ou tablet de que o ônibus esperado está chegando; o motorista do coletivo também será avisado pelo sistema de que há um usuário daquela linha no ponto. Os sistemas apresentados pelas empresas deverão cumprir alguns requisitos, como localização geográfica do veículo em qualquer ponto da cidade, data e horário da medição, prefixo do veículo e linha operada e informação da passagem pelo ponto.

O usuário poderá escolher a linha de ônibus para ativar em seu aparelho. O sistema também dará orientações sobre origem e destino das linhas, informará sobre pontos e linhas para um determinado destino, horário de chegada a determinado ponto e tempo de espera. Fará, ainda, interface com painéis de mensagem variável, como o existente na Avenida Prestes Maia.

O sistema de alerta nos ônibus fará comunicação com os equipamentos de GPS (Sistema de Posicionamento Global) que deverão ser instalados nos veículos do transporte coletivo, como previsto na concessão.  Atualmente, existem 1.247 veículos no Sistema Intercamp.


benassi-marca-dagua

Projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV) começa a ser desenhado

Do site da Emdec

Os primeiros passos foram dados nesta sexta-feira, dia 22 de fevereiro, na Prefeitura de Campinas para a construção do Trem de Alta Velocidade (TAV) entre Campinas e Rio de Janeiro.


Foi apresentado à Prefeitura um projeto com traçado no município de Campinas e propostas urbanísticas elaboradas pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL), estatal federal responsável por todo o sistema de transporte brasileiro e pela implantação do TAV.

A reunião foi coordenada pelo secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Sérgio Benassi, e contou com a presença do diretor da EPL, Hélio Mauro França; da gerente regional do escritório da estatal em Campinas, Luciana Carneiro Muçouçah; do chefe de gabinete Michel Abrão Ferreira; e dos secretários Ulysses Semeghini (Planejamento e Desenvolvimento Urbano); e Samuel Ribeiro Rossilho (Desenvolvimento Econômico e Turismo).

Foi a primeira reunião de trabalho entre a Prefeitura e a EPL e o secretário de Transportes, Sérgio Benassi, destacou a importância de se adaptar o projeto apresentado ás características da cidade. “A reunião foi importante, pois o TAV começou a ser desenhado. O próximo passo é adaptar a proposta á realidade de Campinas, com as sugestões dos diversos setores da Administração”, comentou.

No dia 24 do mês passado, o prefeito Jonas Donizette assinou um protocolo de intenções entre o município e a EPL, que resultou na instalação de um escritório dentro da sede da Emdec.

Benassi explicou que a parceria entre EMDEC-EPL pretende estabelecer diretrizes conjuntas no desenvolvimento de estudos e soluções para implantação do TAV em sintonia com outras intervenções de desenvolvimento da cidade, como a construção dos corredores do Bus Rapid Transit (BRT).

Segundo o secretário, o documento assinado traz uma justificativa técnica de competência da EMDEC, no âmbito municipal, para realizar o gerenciamento do trânsito e do transporte, inclusive quanto ao desenvolvimento de políticas de engenharia de tráfego e estudos de viabilidade necessários para a implantação TAV.

A Emdec deverá fazer um levantamento de informações para a EPL, definir áreas de abrangência e funcionalidade de interesse comum; analisar os projetos; propor soluções articuladas de implementação; e estruturar o Plano de Trabalho.

Benassi destacou a sinergia existente entre o poder público e a iniciativa privada para alavancar a infraestrutura de mobilidade do País. “Campinas será berço do maior entroncamento rodo-aero-ferroviário em território nacional e isto representará uma evolução social e econômica ímpar na história”, disse.

Campinas terá o grande privilégio de ter duas estações do TAV: uma no perímetro aeroportuário e outro no Centro. “É uma oportunidade única para revitalizar não só o Centro, mas toda a cidade”, afirmou Benassi.

TAV
O Trem de Alta Velocidade é um projeto federal de desenvolvimento da infraestrutura do País retomado em 2009 (quando a presidenta Dilma Rousseff era ministra da Casa Civil do governo Lula). O TAV fará a integração da região de Campinas com São Paulo e Rio de Janeiro e servir como ferramenta impulsionadora da economia nacional.

O projeto em licitação prevê investimento de R$ 35,6 bilhões e início dos testes para 2019, além de transferência de tecnologia para o País. Pelo edital, a data limite para o trem de alta velocidade começar a operar é junho de 2020.

As obras vão ocorrer em todas as regiões ao mesmo tempo. O projeto envolve a criação da linha EF-222, de 511 quilômetros, ligando a área ferroviária da região central de Campinas, passando pelo Aeroporto Internacional de Viracopos, Campo de Marte, na Capital, Aeroporto de Guarulhos e o Aeroporto do Galeão no Rio de Janeiro, com algumas estações previstas em cidades como Jundiaí, São José dos Campos, Aparecida, Resende e Barra Mansa.

A uma velocidade de 350 km/h e transportando 458 pessoas por viagem, a um preço máximo de R$ 250 na classe econômica, a expectativa do Governo Federal é que o TAV inicie o transporte de 40 milhões de passageiros/ano em 2020 com potencial de atender 100 milhões de passageiros/ano. O Trem de Alta Velocidade deve ganhar a preferência de uma fatia considerável dos usuários da ponte aérea, avalia a União.

O novo edital do leilão de concessão da operadora do TAV foi lançado no dia 13 de janeiro de 2012 e determina a realização do pregão no dia 19 de setembro, às 14h, na Bolsa de Mercadorias e Futuros da Bolsa de Valores de São Paulo.  O leilão será realizado em duas etapas. Na primeira fase, será escolhida a operadora do trem, que fará investimento de R$ 8,7 bilhões.

Após a primeira etapa, será definido o modelo para a realização das obras de infraestrutura (pontes, viadutos, túneis e via permanente), estimadas em R$ 26,9 bilhões. O projeto executivo da infraestrutura será de responsabilidade da EPL.

EPL
A Empresa de Planejamento e Logística S.A – EPL – é uma empresa pública, vinculada ao Ministério dos Transportes, com prazo de duração indeterminado.

A EPL tem por finalidade estruturar e qualificar, por meio de estudos e pesquisas, o processo de planejamento integrado de logística no país, interligando rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias.

A empresa foi criada pela Lei nº 12.743, de 19 de dezembro de 2012, que alterou a denominação da Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade S.A. (ETAV) para Empresa de Planejamento e Logística S.A (EPL), ampliando suas competências. Tem sede e foro em Brasília, Distrito Federal, com previsão de escritórios em Campinas (SP) e no Rio de Janeiro.

A EPL é dirigida pelo economista Bernardo José Figueiredo Gonçalves de Oliveira, formado pela Universidade de Brasília, que foi coordenador-geral da Agência Nacional de Trânsito e Transporte e diretor da Rede Ferroviária Federal. Luciana Carneiro Muçouçah é a gerente do escritório de Campinas. Formada em Pedagogia, trabalhou no Ministério da Casa Civil e foi chefe de gabinete da EMDEC antes de ser convidada para dirigir o projeto do TAV em Campinas.

Investimento
A EPL terá 45% de participação no projeto do TAV. Uma alteração recente no edital aumentou a fatia da estatal, prevista em 33% em dezembro passado. O investimento no projeto terá um retorno de capital significativo para o consórcio investidor.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou na semana passada novas condições de financiamento, após as mudanças no modelo de licitação do projeto.

Para a primeira etapa de licitação, com entrega de propostas marcada para 13 de agosto deste ano, o empréstimo está limitado a R$ 5,3 bilhões na data-base de dezembro de 2008, corrigidos pelo IPCA (R$ 6,6 bilhões, em valores de dezembro de 2012).

O BNDES divulgou em nota que a primeira etapa do projeto compreende a implantação dos sistemas de sinalização, eletrificação e comunicação, fornecimento do material rodante, proteção acústica, operação e manutenção do sistema.

benassi-marca-dagua

Campinas recebe 27 novos ônibus acessíveis



O prefeito Jonas Donizette deu início ao processo de renovação e melhoria da frota do transporte público coletivo municipal. Campinas recebe 27 novos ônibus acessíveis. E, até meados de março, mais 20 entram em operação.

A apresentação dos novos veículos foi na manhã deste sábado, dia 2 de fevereiro, no Terminal Ouro Verde. Ficaram expostos no terminal 25 veículos, que já começam a operar na segunda-feira, 4. Os outros dois novos ônibus circulam no decorrer da semana.

“O transporte público é necessário para o trabalho, estudo e lazer. É uma prestação de serviço à população; além de ajudar na fluidez do trânsito”, destacou Jonas Donizette. “Essa renovação de parte da frota marca o compromisso da Administração com as pessoas que vivem em Campinas, de serem tratadas como gente. Vamos, juntos, construir uma cidade verdadeiramente digna e honrada”, afirmou o prefeito durante a cerimônia.

Na apresentação dos novos ônibus também estavam secretários municipais, vereadores, empresários do setor de transportes, representantes sindicais, motoristas, cobradores e usuários do terminal. A secretária do Direito das Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Emmanuele Garrido Alkmin, salientou a acessibilidade dos veículos. “Eles garante autonomia para as pessoas com deficiência, garantem o direito de ir e vir e mostram que a acessibilidade não é somente física; mas, sim, um conceito. Esse ato demonstra o compromisso do prefeito com a construção de um novo tempo para Campinas”.

Para o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), Sérgio Benassi, a entrega dos novos ônibus “reafirma o importante compromisso da Prefeitura em garantir um transporte público coletivo acessível, moderno, seguro e de qualidade”. Benassi ainda destacou que “a renovação da frota de ônibus é importante, porque atrai mais usuários para o sistema”.

Nova frota
Os 27 novos ônibus foram adquiridos pela empresa VB Transportes e Turismo, responsável pela operação da Área 1 (Azul Claro) do Sistema InterCamp, que atende as regiões do Ouro Verde, da Vila União e Corredor Amoreiras, entre outras. Os veículos irão operar nas linhas 1.25 – Terminal Ouro Verde / Shopping Iguatemi (12 ônibus); 1.34 – Terminal Barão Geraldo (7 ônibus); 1.42 – Jardim Santa Terezinha (3 ônibus); e 1.62 – Jardim Paulicéia (5 ônibus). Essas quatro linhas transportam, diariamente, cerca de 15 mil passageiros do transporte público municipal.

Os investimentos com a nova frota foram da ordem de R$ 6,2 milhões. Os veículos são do tipo convencional, com capacidade para 76 passageiros. Eles são dotados com elevador para acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; balaústres emborrachados para direcionamento ao botão de parada; botão de parada com indicação em braile; espaço para cadeirantes; bancos preferenciais para idosos, obesos e gestantes, além de encostos dos bancos mais altos, oferecendo maior conforto e comodidade aos usuários.

Luiz Gustavo Merlo, 37 anos, é cadeirante e experimentou, pela primeira vez, o elevador de um dos ônibus expostos no terminal. “É um sistema prático, rápido e seguro. O espaço para cadeirantes, dentro do veículo, também oferece segurança, por conta do cinto e do apoio para os braços”, contou.

InterCamp
Com esses novos veículos, o Sistema InterCamp (sistema de transporte público coletivo municipal) possui 1.271 ônibus. São 1.023 veículos de empresas concessionárias e 248 do serviço complementar (alternativo).

Do total de veículos, 562 são acessíveis, sendo 493 das empresas e 69 do complementar. Os veículos acessíveis representam 45% da frota. A idade média do InterCamp é de 4,7 anos.

Dados do Terminal Ouro Verde
O Terminal Ouro Verde foi inaugurado em 1988; e recebe 28 linhas do InterCamp. Por dia, circulam 65 mil pessoas pelo local.

O Ouro Verde fica na Rua Armando Frederico Renganeschi, no Jardim Cristina.

Linhas no Terminal Ouro Verde: 1.01; 1.02; 1.03; 1.04; 1.05; 1.06; 1.07; 1.08; 1.09; 1.10; 1.11; 1.12; 1.13; 1.16; 1.18; 1.19; 1.20; 1.21; 1.22; 1.23; 1.25; 1.28; 1.32; 1.34; 1.96; 1.98; 2.05; e 2.39.



Do Site da Emdec
benassi-marca-dagua

Secretário de Transportes dá boas-vindas a novos agentes da mobilidade


O secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), Sérgio Benassi, conversou com a turma de novos agentes de Mobilidade Urbana que passaram por treinamento. Em encontro nessa na quinta-feira, 10, Benassi ressaltou a importância dos “amarelinhos” como símbolo da empresa e que seu trabalho está vinculado ao bem-estar da população.


“Querem impor ao amarelinho uma imagem de punidor do motorista, mas não vai dar certo. A verdade é que quando há um acidente o amarelinho está lá, quando há enchente a EMDEC é acionada e para organizar a mobilidade em eventos e atividades os agentes de trânsito são os primeiros a chegar e quando precisa multar o motorista que desrespeita a lei ele cumpre seu papel. Por isso, o amarelinho é o melhor amigo da cidade e do cidadão”, afirmou sob aplausos.

A turma de 20 agentes da EMDEC e mais dois agentes de trânsito de Itatiba e um de Hortolândia receberam  longo treinamento dos analistas de Recursos Humanos da empresa.

Ao final do curso, os alunos estarão credenciados para reforçar o time de amarelinhos. Nos módulos de transporte e trânsito eles receberam profundos conhecimentos sobre o Sistema Nacional de Trânsito, operação de trânsito, sinalização, direção defensiva, desenvolvimento de competências comportamentais, Direito, entre outros temas que somam uma carga horária de 126 horas.

Encontro com agentes
No começo da semana, Sérgio Benassi reuniu os agentes de mobilidade na Gerência de Fiscalização e Operação para um primeiro contato e uma mensagem de valorização do papel dos amarelinhos. “O trabalho dos agentes está presente 24 horas por dia em todas as regiões de Campinas. Muitas vezes, a população está tão acostumada com o trabalho eficiente dos amarelinhos que nem tem consciência da sua importância”, avaliou.

Ao lado do diretor de Operações, Edson Cunha, deu os parabéns pelo bom trabalho e se comprometeu com uma política efetiva de valorização da imagem do amarelinho como símbolo da EMDEC.

benassi-marca-dagua

Jonas Donizette prestigia posse de Sérgio Benassi na presidência da EMDEC

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, participou no dia 2 de janeiro, às 14h, da posse do secretário municipal de Transportes, Sérgio Benassi, na presidência da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC).


Além do prefeito, o evento contou com a presença do vice-prefeito, Henrique Magalhães Teixeira; do vereador Gustavo Petta; do ex-secretário de Transportes Wilson Folgozi de Brito e de secretários municipais.

A cerimônia de posse ocorreu durante a Assembléia Geral Extraordinária do Conselho de Administração de Transportes de Campinas na sede da EMDEC – Rua Doutor Salles Oliveira, nº 1.028, Vila Industrial.

Jonas Donizette disse que Benassi tem larga experiência política, conhece os problemas da cidade e é capaz de desenvolver uma gestão eficiente na pasta de transportes e trânsito, com a ajuda dos técnicos e demais funcionários da EMDEC. “Todos os setores são importantes, mas as pastas de Transportes, Saúde, Educação e Segurança merecem atenção especial, pois estas são as áreas que a população mais clama por melhorias”, disse o prefeito.

O secretário municipal de Transportes, Sérgio Benassi, destacou também a importância dos técnicos e funcionários da EMDEC na gestão de uma administração eficiente. “Conheço a EMDEC desde sua formação. Vi este bebê nascer e acompanhei de perto toda a sua trajetória. Por isto, tenho a convicção de que os técnicos, agentes e demais funcionários  têm capacidade para enfrentar os desafios”, comentou Benassi.

O novo secretário afirmou que deverá intensificar a capacidade de operação no trânsito e no transporte, com respostas rápidas e práticas às necessidades da população. “A meta é de aplicar também uma fiscalização eficiente para que as leis sejam cumpridas de forma sóbria e com respeito ao cidadão”, disse. “Pretendo também investir bastante na educação no trânsito em todas as faixas etárias da população”, afirmou.

Uma segunda frente de atuação será na área de planejamento. “É necessário pensar também nos próximos 30 anos e desenvolver um plano viário para o transporte que atenda às necessidades futuras”, finalizou.

MISSÃO
Benassi, assume o cargo e a presidência da EMDEC com a missão de comandar a execução de projetos importantes e ambiciosos na área de trânsito e transporte, propostos pelo prefeito eleito Jonas Donizette.

Benassi deverá capitanear, por exemplo, o projeto do BRT (Ônibus Rápido para o Trânsito) nos corredores do Campo Grande e do Ouro Verde, que estabelece  investimentos de aproximadamente R$ 300 milhões do Governo Federal, via Programa de Aceleração do Crescimento da Mobilidade (PAC-Mobilidade).

Deverá também colocar em prática nos próximos quatro anos os planos de melhorias na infraestrutura viária para que haja Mobilidade Urbana capaz de acompanhar o crescimento de Campinas e as mudanças que vão ocorrer com a ampliação do aeroporto de Viracopos.

O novo secretário participará efetivamente também da instalação do Trem de Alta Velocidade (TAV), chamado de trem- bala, que vai ligar as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. O investimento estimado para este projeto supera os R$ 33 bilhões.

Conforme propôs o novo prefeito, Benassi deverá alterar o tempo de uso do sistema de bilhetagem eletrônica e proporcionar melhorias no sistema de transporte para a população.

PERFIL
Benassi nasceu em 1952, é médico veterinário formado pela Universidade de São Paulo (USP) e funcionário público da CATI (Secretaria de Agricultura e Abastecimento).  Foi membro da Direção Nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e faz parte da Direção Municipal e Estadual do Partido.

Em 1992, elegeu-se vereador pela primeira vez em Campinas e cumpriu cinco mandatos.

Neste período, que supera 20 anos de vida pública, Benassi foi responsável por centenas de projetos de lei em diversas áreas, sendo 102 direcionados ao setor de transportes e trânsito. Entre os quais, o ex-vereador criou o projeto que regulamenta as regras para o serviço de motofrete e estabelece também as regras sobre vagas de estacionamento na cidade.

Em 1996, no Governo de Magalhães Teixeira, Benassi participou como autoridade da cidade na luta pela ampliação do aeroporto de Viracopos, durante o 1º Seminário de Ampliação de Viracopos, mantendo-se atuante neste assunto até hoje.

Participou ativamente também no processo de construção da nova rodoviária em Campinas e foi um dos responsáveis pela ampliação da Estrada dos Amarais e pela construção do túnel de pedestres no Terminal Metropolitano de Campinas.