Benassi pelo desenvolvimento e contra as irregularidades

Considerando a região do Campo Grande e Ouro Verde duas das mais populosas da cidade, Benassi presidiu o debate público pela construção da alça de ligação da Rodovia dos Bandeirantes com as avenidas John Boyd Dunlop e Ruy Rodrigues, com o objetivo de desenvolver social e economicamente as regiões.
   Apurou e interrompeu a concessão, que era para mais 30 anos, da administração do terminal rodoviário e moveu duas ações populares que resultaram no desmonte da negociata. As ações do Benassi viabilizaram a licitação realizada este ano para a construção do novo terminal que deverá ser entregue em 2008.
   A partir de inúmeras denúncias sobre a distribuição e comercialização de combustíveis adulterados em Campinas e com coragem para enfrentar a máfia que se instala em nossa cidade, ele criou a lei que cassa o alvará de funcionamento de estabelecimentos que comercializam combustíveis adulterados (Lei- 12.234/05).
   Em prol da Área de Proteção Ambiental (APA) e do Meio Ambiente, Benassi presidiu o debate público sobre a atuação ilegal da Mineradora na APA de Joaquim Egídio, que resultou na lacração definitiva da empresa.
   A luta pela ampliação e investimentos no Aeroporto de Viracopos, proposto por Benassi, vem muito antes de qualquer “crise aérea”, pois ele tem visão de futuro e já na década de 90 se preocupava com este aspecto. Em suas batalhas, conseguiu a confirmação do projeto de ampliação para o Aeroporto de Campinas, já que em 94 o governo Estadual tentou destinar a verba para outra cidade e, ainda, garantiu a permanência das famílias nos 17 bairros do entorno.
   Garantiu o processo de Revitalização da Estação Guanabara (Cracolândia de Campinas) e foi pioneiro nas conversas e pressões na CPOS (Companhia Paulista de Obras e Serviços – órgão que era responsável pela área). Realizou debates públicos e organizou manifestos. Negociou com os representantes do IPEP (Instituto Paulista de Estudo e Pesquisa – atuais proprietários da área) medidas para controlar e preservar o local.
   Desde 2000, denuncia e articula medidas para garantir a duplicação da Estrada dos Amarais. Através dessas iniciativas, solucionou os principais entraves jurídicos para a possibilidade da realização desta obra (Lei- 11.333/02).
   Preside a Comissão Especial de Estudos (CEE) que analisa os fatos relacionados ao Instituto de Previdência Social do Município de Campinas (Camprev). Os avanços apresentados são: mudança da sede administrativa, com vagas de estacionamento e banheiros para deficientes, equacionamento do déficit, através do estudo da consultoria do Banco do Brasil entre outros.