Benassi pela Educação

  Demonstrou, com ações, toda sua preocupação com o futuro da Educação do nosso país e de Campinas ao presidir a Comissão de Educação na Câmara Municipal por 7 anos e criar e integrar o Conselho Municipal de Educação.
   Viabilizou a construção das creches na Vila Olímpia, Parque Oziel e Parque da Família. Acelerou a entrega das creches do San Martin e Vila Padre Anchieta e conseguiu a construção de uma escola estadual para o bairro Dom Gilberto. A partir do trabalho do Benassi, os estudantes do bairro Satélite Íris receberão uma Unidade do Centro de Educação Profissional de Campinas (Ceprocamp).
   Articulou no Ministério da Educação (MEC) e garantiu as verbas para a vinda do Projeto de quatro Escolas Técnicas para Campinas, entre elas: o Centro de Educação Profissional de Campinas “Prefeito Antonio da Costa Santos” (CEPROCAMP) e a Escola Técnica de Logística (Fitel).
   Os estudantes, de primeiro a terceiro graus, com a lei do Benassi, ganharam a ‘meia entrada’ em espetáculos teatrais, musicais, circenses, cinemas e outras atividades esportivas e culturais (Lei- 7.560/93).
   O ‘ônibus-biblioteca’ foi criado pelo Benassi (Leis- 10.451/00 e 10.946/01) beneficiando milhares de estudantes. Em 2001, com o Projeto Leitura em Movimento, ônibus adaptados como bibliotecas percorrem os bairros de Campinas e permitem que a população tenha acesso ao acervo com mais de 3.500 livros de diferentes gêneros e áreas.
   Ele garantiu aos estudantes da União Campineira dos Estudantes Secundaristas (UCES) uma sede própria para organizarem suas atividades e manifestos democráticos. Além de fornecer um espaço para debates, a sociabilização e troca de informações e conhecimentos (Lei- 7.554/93).
   O Projeto de Lei 71/02 (em andamento) cria os créditos educativos municipais para os alunos do ensino profissionalizante do 2º grau.