Benassi pelos Trabalhadores

  Preservando os direitos dos trabalhadores e lutando contra o desemprego criou leis que:

   – Impede o sistema auto-atendimento (self-service) nos postos de abastecimentos e obriga o uso de roupas de proteção pelos frentistas (Leis- 8.867/96 e 11.370/02);
   – Proíbe a instalação da catraca eletrônica no transporte coletivo (Lei- 10.904/01);
   – Cria a Lei 8856/06 sobre o sistema de fiscalização e controle de segurança do trabalho e saúde do trabalhador e estabelece normas de prevenção da saúde dos trabalhadores em atividades que possam desencadear Lesões para Esforços Repetitivos (Lei 11.286/02);
   – Cria o ‘Passe Desemprego’ no transporte coletivo urbano (Lei- 9.032/97), o ‘Programa Educacional Jovem Trabalhador’ (Primeiro Emprego) e o Programa de incentivo ao estágio remunerado (Lei- 10.442/00), além da isenção da taxa de inscrição em concursos municipais aos candidatos desempregados (Lei- 9.218/97).

  Em sua trajetória pública, Benassi se pautou pelas políticas sociais e, juntamente, com os representantes de Associações de Bairros e Movimentos populares, de forma ordenada, construiu e liderou a ocupação dos vazios urbanos existentes em Campinas.
   Pelo funcionalismo público de Campinas, apresentou os Projetos de Leis 163/99 e 310/01 que trataram, respectivamente, sobre as questões da amamentação que a mãe trabalhadora tanto reivindica e sobre a jornada de trabalho dos funcionários públicos. Lutou contra a privatização da Sanasa. Esteve com os funcionários nas greves de 1999/2000 por redução da jornada de trabalho, reposição salarial, de benefícios retirados e contra outras manobras que visaram o desmonte dos serviços públicos em Campinas.
   No processo da aprovação da Lei 12012/04 Benassi foi o principal defensor das melhorias e entendeu que, naquele momento, a Lei atendia às antigas reivindicações. Porém, após ser judicialmente suspensa e ‘carregar’ cinco ações judiciais contrárias, a 12012 precisou ser revista para que as conquistas dos trabalhadores fossem garantidas legalmente.
   Ele mostrou seriedade e compromisso ao debater as mudanças com dezenas de grupos dos funcionários municipais quando ocorreu a discussão, votação e aprovação do novo Plano de Cargos que teve como principal objetivo garantir e melhorar a carreira dos servidores de forma legal. Benassi foi o principal relator das emendas apresentadas pelos servidores municipais ao executivo.